Monday, January 06, 2003

and a smell of love in my mind

Monday, December 02, 2002

A voz que nos fala entre o ventre e a garganta diz-se no meio do caos absoluto.
É uma esfinge a tentar crescer para não ser comida pelo mar. A voz oscila, está condicionada às temperaturas do corpo.
Umas vezes límpida, outras turva.

Friday, November 22, 2002

O jardineiro não veio ontem nem hoje. não virá amanhã, é quase certo.
Tudo é daninho, não brota uma couve e eu vegeto no bico de um insecto.

Tuesday, November 19, 2002

vamos partir com as andorinhas.
insectos de vertigem
sem paisagem.
A terra foi por um instante pura, através do teu corpo elástico e pausado.

Monday, November 11, 2002

Não é possível acordar a meio da noite e entrever um corpo iluminado num outro quarto.
Não é possível dizer nada diante das grandes nuvens que ardem sete mãos acima da cabeça.

Tuesday, November 05, 2002

Os ombros e os gatos compreendem-se melhor do que se pensa.

Saturday, November 02, 2002

(...)
Take me home tonight
oh take me anywhere, I don't care
I don't care, I don't care
driving in your car
I never never want to go home
because I haven't got one
no, I haven't got one

And if a double-decker bus
crashes in to us
to die by your side
is such a heavenly way to die
and if a ten ton truck
kills the both of us
to die by your side
well the pleasure, the privilege is mine

«There is a light that never goes out» - The Smiths